domingo, 27 de julho de 2008

CRÔNICAS - Aos amigos Jô e Marcel


Tem coisas que acontecem q não sabemos ao certo como começou
Eram pessoas diferentes
Pontos de vistas diferentes
Sonhos diferentes
Futuros até então diferentes
Mais com um amigo em comum...
E com mais coisas em comum do que imaginavam
E foi num desses devaneios loucos da vida, que tudo sucedeu.
Apresentados foram, a antipatia foi geral.
Ele era novo, ela era exigente.
Conversas, encontros, sorrisos aconteceram aos poucos.
Encontros se passaram, amores de verão, de carnaval, de páscoa e...
Tudo um dia acabou, com um motivo tolo no meio e meio mundo de coisas bestas e inúteis por traz.
Ela sofreu, ele sofreu menos.
Ela ficou em pé novamente
Ele se afundava na própria lama, que eram as amizades erradas.
Ela seguia forte em busca daquilo q só encontraria nele
Ele seguia sem rumo, pois o rumo ele só encontraria nela.
O carnaval se aproxima... Os amigos se preparam para viajar
Ela com os amigos de sempre
Ele abandonado pelos “amigos” de outrora
É quando surge o convite, feito pelo comum de dois, que assumirá a responsabilidade da guerra q poderia acontecer.
E novamente o que parecia apagado feito fogueira depois da chuva torrente de São João
Acendeu-se no primeiro contato visual
Olhos brilham, corações aceleram, o amor de novo floresce.
Era carnaval, era verão, tudo era propicio ao amor.
No meio desta turbulenta festa de hormônios, ainda mais exaltados pela bebida.
Resolveram que um daria a chance do outro ser feliz
Conversas sérias, olho no olho, conselhos, mais conversas e muito mais muito desejo.
Seus olhos de outrora triste, transformaram-se em olhos cheios de paixão.
Dias se passam e decidem então
Que serão um do outro por toda vida
Sacramentando isso em matrimonio
Brigas virão cobranças também.
Mais com amor e jeitinho supera-se tudo
Filhos virão afilhados também.
Outras conquistas aparecerão
E crescendo com tropeços e vitórias, construirão uma vida linda.
Sabendo sempre... sempre mesmo...
Que poderão contar com este que escreve...
Este que enche a boca pra dizer...
SEJAM FELIZES MEUS VERDADEIROS AMIGOS!

3 comentários:

ROB disse...

Me emocinei!!!
Muito bonita essa crônica!!!
Almé

Jô Freitas disse...

Amigo nem sei o que dizer! Qualquer coisa que digá é pouco pra agradecer. Te amo!

leandro disse...

POh, ateh eu q me considero um iceman me emocionei. Muito lindo mesmo